TRILHA TREM  

 

 
 
 
 
 
 
Trilha Trem
Gui Oliva
 
Em  cada compasso eu sentia um nó
que desatinava  a me fazer sonhar,
cada minuto era um e não o queria  só
sem você daí, no galanteio, a cortejar.
 
Nesta toada lágrima não deveria vir mas vem,
se, ao contrário, o riso é solto, a alma trilha
por aqueles trilhos de um certo trem,
 trenzinho do caipira, dedilha mestre Villa.
 
E  rodeio assim nesse volteio,
rodopio, cantarolando um estribilho
do vem não vai imaginei o desafio,
será que você chegaria de afogadilho?
 
mas... locomotiva Maria Fumaça apitou partida
e o anunciado, foi de voz doída,
 partiu comboio da estação da vida,
 devagarzinho,
 
meu olhar perdeu-se e lágrima escapou,
e foi o trem se afastando de mansinho,
nem reparou... entristeci...
porque você se atrasou!
 
Santos/SP 13/02/08
 

 

 

O Trem de Ferro

Humberto - Poeta

 

O trem na estação dá o berro

e os nossos bilhetes marco;

num ruidoso trem de ferro

com meu amor eu embarco.

 

Bem juntinhos eu e ela

começamos a viagem;

vira um cinema a janela

que vai filmando a paisagem!

 

E mais tarde, ao restaurante,

eu a levo pela mão

comer algo estimulante

para o corpo e o coração.

 

Até num trem bem simplório

há momentos de esplendor,

pois no vagão-dormitório

recrudesce o nosso amor!

 

Para o casal que se afina,

que se ama e se quer bem,

pro  amor não virar rotina,

 bom mesmo é viajar de trem!

 

 

 

 

Recado Poético

Michèle Christine

 

No trem de uma nova trilha

o amor não te fará armadilha.

Encontrarás o teu laço no espaço

aberto de uma janela.

Não esperes, não tenhas cautela.

Atrelas o laço ao teu abraço,

deixa-o entrar.

Por certo, confesso,

a felicidade na tua vida

fará guarida.

 

 

 

 

Fundo musical: Choro de Villa Lobos

Arte by Michèle Christine.

 

 

 

 
 
 

Índice Principal

Índice

Próximo