Versos inspirados em texto da Escritora Martha Medeiros, intitulado PONTO G.
 

Vidas canção do eu quisera
Gui Oliva

O ponto dela seja ela quem for,
embora ele, o amado,
o devaneio custa ouvir ou nunca escuta,
é ponto que, mesmo sem razão, pontua amor,
seja ela mulher - menina, santa ou aquela,
que a maioria deles conhece como prostituta.

O ponto dela sempre está à espera,
de um sussurro e sem qualquer reclamo,
ela sempre tenta ouvir dele a respiração,
e diz... ai quem me dera se ele aprendesse
dizer no meu ouvido um... eu te amo
,
mas ele esse assoprar não inventa.

E assim... segue ela a alimentar sonhos e quimeras,
quem sabe... um dia ele me diz que estou cheirosa,
que sou a companhia que o faz calmo e feliz,
e só esse pensar a torna uma exitosa.

E então... ela se vê mestra e aprendiz,
torna sua vida como a canção do eu quisera...
e assim seu ponto passa a ser mais do que a espera,
vive conformada, aguarda... ela toda agora verso e prosa!

Santos/SP 29/06/07


Som: Clara Nunes canta
Ai quem me dera de Vinícius de Moraes

 

Índice Principal

Índice

Próxima

 


®Direitos Autorais-Gui Oliva